{Real Wedding} Um casamento jovem e com direito a dois vestidos (um deles DIY)!

Andreia & Tiago

A Andreia é uma das colaboradoras deste blog: a Jasmine! Vamos saber tudo e mais um pouco sobre o seu casamento!

Começando pelo princípio, como tudo começou?

Conhecemos-nos por acaso, num bar da Costa da Caparica (Espaço 20), onde tínhamos ido dançar salsa. Ambos dançávamos há alguns anos, mas tínhamos parado em alturas diferentes e nunca nos tínhamos conhecido (apesar de termos amigos em comum). Estávamos ambos solteiros, tínhamos voltado a dançar há pouco tempo e cruzámos-nos nessa noite (12 de Março de 2010). Voltámos a ver-nos numa festa de salsa no dia seguinte, saímos no domingo para beber um copo e nunca mais nos largámos. Em 2012 eu mudei-me para a Holanda, para fazer o doutoramento e foi um desafio, mas que superámos juntos. O Tiago mudou-se em 2013, um ano e meio depois. Entretanto adoptámos a nossa menina de quatro patas, Di, e já saltitámos juntos para outro país.

Como foi o teu “special day”?

Foi um dia espectacular e a palavra-chave foi “dança”. Estávamos rodeados de amigos, que constituíram cerca de 90% dos convidados e não conseguimos imaginar que fosse de outra forma. Foram muitas horas de alegria, comida e muita, muita dança. Mas, como todos os noivos dizem, passou muito rápido. O Tiago estava muito nervoso na noite anterior. Eu dormi pouco, por várias razões, e levantei-me às 5h da manhã, para dar andamento ao meu cabelo. A última coisa que queria era atrasar-me. Acabou por acontecer, mas não foi culpa minha. Mas eu não estava nada nervosa. A fotógrafa até comentou que eu era a noiva mais relaxada que ela já tinha visto. Isto porque quando ela chegou, estava eu a arranjar o cabelo às minhas madrinhas.

Qual era o tema, as cores e as teus métodos de inspiração?

Não tínhamos nenhum tema para a decoração, apenas para os nomes das mesas, que foram tipos de dança afro-latinos. Como fizémos uma sessão de solteiros, na cidade onde morávamos na altura (Groningen, na Holanda), pedimos à fotógrafa algumas fotos a dançar, já a pensar que as iríamos usar para as mesas. Fui eu que fiz todo o estacionário, desde convites, ementas aos marcadores de mesa e lugar. Para as cores escolhemos verde menta, rosa claro e branco (as minhas cores preferidas), com um toque de dourado. O Pinterest foi o meu melhor aliado na procura de inspiração. Tenho a certeza de que a maioria das noivas concorda comigo ;) A decoração ficou bastante simples, muito clara e fresca, mesmo como queríamos.

 Quais foram as particularidades do teu casamento?

Uma das principais particularidades do nosso casamento foi a média de idades, que estava (provavelmente) por volta dos 35 anos. Como tínhamos muitos amigos e poucos familiares, a média de idades era mais baixa que a maioria dos casamentos e isso fez com que fosse super animado e que a pista de dança nunca tivesse parado. Outra das particularidades foi a quantidade de coisas feitas por nós. O nosso casamento também era muito internacional, porque tínhamos amigos de vários países e contámos com amigos de cerca de 15 nacionalidades diferentes. Também tive dois vestidos, um feito por mim, o que já de si é uma peculiaridade.

O noivo gosta de tradições, mas eu não. Por isso não tivémos meninos das alianças (foi uma das madrinhas a levar as alianças), optámos por padrinhos (8) em vez de damas ou cavalheiros de honra e não tirámos fotos com os convidados. Falámos de antemão com a fotógrafa, que concordou com a nossa decisão. Não queríamos perder tempo a posar eternamente com cada um dos convidados e preferimos usar esse tempo para fotos nossas. Acabámos por ter fotos mais espontâneas com os convidados e mais fotos nossas.

A+T—lowres-636

Qual foi o teu momento preferido?

Essa é difícil. A cerimónia foi muito bonita, mas acho que o momento de que mais gostei foi a nossa primeira dança. Talvez por dançarmos e isso representar-nos como casal e ter sido a forma como nos conhecemos. Para além disso foi o momento em que abrimos a pista e a verdadeira festa começou! Tínhamos já alguns amigos a dizer que se não abríssemos a pista, abriam eles. Foi aí que fomos a correr preparar a parte do “lançamento” do ramo. Eu queria “lançar” o ramo com o meu primeiro vestido, por isso fomos a correr chamar as solteiras. Foi um momento divertidíssimo. Tínhamos cerca de 40 solteiras, de todas as idades (eu contei com todas quando fiz as fitas) e usámos primeiro o “Single Ladies” da Beyoncé para as chamar para o jardim. Cada uma pegou numa fita (algumas crianças também) e o Tiago foi cortando as fitas ao calhas. Ele adorou e estava tão divertido que demorou o seu tempo a cortar as fitas, já eu dizia mal da minha vida com dores no braço.

Mudavas alguma coisa?

Talvez tivesse pedido aos convidados para deixarem as prendas com alguém. Sempre que tínhamos alguém a chamar-nos para dar um envelope, havia logo uma fila. Isso fez com que não nos sentíssemos bem em falar com cada convidado/casal durante muito tempo. Acho que se os convidados tivessem deixado as prendas com a nossa família, tínhamos tido conversas mais demoradas e mais espontâneas.

Acho que também faltou definir um pouco certas coisas. Os padrinhos entraram na ordem errada porque (apesar de elas saberem como tinham de ir) o Tiago achou que a ordem era outra e a madrinha das alianças acabou por não ir à frente. Até hoje ele me diz que devíamos ter ensaiado.

Foi fácil organizar o casamento à distância e em pouco tempo?

Confesso que não foi difícil. Não sei se por sermos pessoas práticas, mas funcionou muito bem. Começámos por decidir uma altura do ano (Agosto/Setembro) e eu fui à Expo Noivos porque estava em Portugal nessa altura e logo depois de ficarmos noivos. O noivo ainda hoje brinca a dizer que uma semana depois de me ter pedido em casamento já andava em em exposições e feiras de casamentos. Nessa visita trouxe vários folhetos informativos e comecei a contactar quintas. O nosso requisito era que fosse próximo de Lisboa, para ser de fácil acesso às famílias e principalmente aos convidados que vinham do estrangeiro. Já nem sei quantas contactámos, mas imprimimos preços e um dia na mesa da sala limitámos a escolha a duas. Pedimos às nossas famílias para as irem visitar e a nossa (Quinta Acordeon) até teve um Open Day em Janeiro, o que foi perfeito. Eles deram-nos a sua opinião e nós fizémos a nossa escolha (que foi muito fácil). A esta altura já só tínhamos escolhido quintas com disponibilidade de datas e escolhemos a nossa (29 de Agosto de 2015).

O passo seguinte foi escolher a fotografia. Confesso que foi fácil e difícil. Passo a explicar, ao início procurei imenso e havia muito poucos fotógrafos que me enchessem as medidas. Atenção que não limitei a minha procura a Lisboa, mas olhava para as fotos das cerimónias e não era aquilo que eu queria. Até que me lembrei que a minha fotógrafa preferida (que já seguia no facebook há uns bons anos) tinha postado algo de casamentos. Contactei-a, falámos por Skype e, por coincidência, a data tinha acabado de ficar disponível. Nem procurámos mais.

O DJ é nosso conhecido, porque é DJ de salsa e já deu aulas de dança ao Tiago. Eram dois e souberam animar bem a pista de dança. A florista é a amiga da minha mãe e a maquilhadora encontrei também numa das minhas pesquisas. A Susana é extremamente simpática. Como a minha mãe é cabeleireira, o cabelo não podia ficar noutras mãos.

Como foi a aventura dos vossos looks?

Foi bastante simples. Eu fui apenas a uma loja e experimentei cerca de 4 estilos diferentes: em A, sereia, trompete e princesa (cai-cai). Na loja o que mais gostei foi e de estilo em A, mas em casa, ao ver as fotos, apaixonei-me pelo de princesa. Uma amiga chinesa mostrou-me um site chinês estilo eBay e ajudou-me a encomendar o vestido pelo qual me apaixonei. Mas o que eu queria era um vestido grande e volumoso e não ia ser possível dançar com ele. Por isso lancei-me na aventura de fazer o meu próprio vestido de noiva, mais curto e leve. Foi uma verdadeira aventura. Fiz de raiz, com muita pesquisa, muitos vídeos de youtube, muita invenção, desenrascanço e paciência ;) Os sapatos comprei e alterei eu. Podem ver o meu tutorial aqui. Como tive dois vestidos, tinha de ter dois sapatos! hehehe a verdade é que queria sapatos em que pudesse dançar e por isso encomendei sapatos de dança na Rumbanita. Acabei por ter uns rasos porque já não conseguia andar de saltos, e esses eram umas sabrinas que já tinha, nos mesmos tons do casamento. Comprei também um cardigan verde menta, caso esfriasse à noite, mas estava tanto calor que nem saiu do saco onde o levei.

O fato do noivo foi feito à medida numa loja de uma cadeia holandesa. Ele sabia exactamente o que queria, por isso também foi uma escolha fácil. Acabou por ser um fato normal (nada do típico fato de noivo, com imenso brilho), azul escuro, com laço e botões de punho que mandei fazer especialmente para ele. Ele tinha pensado em ir de preto, mas numa das lojas que visitámos disseram-lhe que os fatos em azul escuro ficam muito melhor em fotografias e que ficam quase pretos. Não é que é verdade?

O que gostarias de acrescentar?

Acho que o importante para alguém que está a organizar o seu casamento é ter a mente aberta. Aquela data que queríamos pode não estar já disponível naquela quinta maravilhosa, ou o fotógrafo ideal ser muito caro. É muito importante manter a mente aberta a várias possibilidades e não ficar muito tempo a pensar em algo que não podemos ter. Vai sempre aparecer algo melhor. 

Fornecedores
Vestido de noiva: Taobao & self-made | Cabelo Noiva: Cabeleireiro Lurdes, Feijó | Cabelo Noivo: Gianni Bach | Fato do noivo: Suit Supply | Quinta: Quinta Acordeon | Música: João Santos | Fotografia: Luminous Photography | Acessórios noiva: Swarovski (brincos & colar), Swatch (relógio) & Intimissimi (lingerie). | Acessórios noivo: Mrs BowTie (laço & lenço), van Lier (sapatos), Filippo Loreti (relógio) & Carina Rodrigues Joalheria (botões de punho) | Vestidos Madrinhas: Self-made | Ramos: Tila Florista | Maquilhagem: Addicted2Makeup

A+T—lowres-1350.jpg

Gostou deste casamento? Temos mais aqui.

Veja temas e estilos e ideias!


 facebook |  instagram  | pinterest

horizontal_preto.png


5 thoughts on “{Real Wedding} Um casamento jovem e com direito a dois vestidos (um deles DIY)!

  1. Ohhhhh, tão giro! Foi um dos casamentos mais fantásticos que eu e a minha equipa já fotografámos (e do qual continuamos a falar cheias de saudades)!

    Muitos beijinhos para a Andreia e para o Tiago e obrigada por terem incluído o meu link! :)

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.