{Real Wedding} Um casamento muito “British”

Ana & Sérgio

Olá Ana. Vamos começar por uma das coisas que mais suscitam curiosidade nos nossos leitores: como foi organizar o casamento à distância?

Olá! Então, não foi fácil no sentido de que por vezes me sentia frustrada por não poder simplesmente falar cara a cara com os fornecedores (foi sempre tudo tratado por e-mail), mas foi fácil no sentido em que muitos desses fornecedores nos facilitaram a vida pois sabiam que estávamos longe.
Pelo que amigas minhas que vivem em Portugal me contaram, normalmente quando se entra pela primeira vez em contacto com uma quinta, fazem alguma pressão para visitarmos e só aí mostram os menus disponíveis e preços, e isto pode-se tornar um processo muito lento, pois normalmente ninguém quer optar por uma quinta sem primeiro ver todas e analisar bem todos os diferentes menus.
Por estarmos longe, conseguimos convencer as quintas a enviar-nos os menus por e-mail, o que nos poupou bastante tempo. Basicamente, só com a informação dos menus e vendo online as fotos das diferentes quintas, conseguimo-nos “decidir” pela que gostávamos mais e, assim, quando fomos a Portugal bastou-nos ir apenas a essa quinta para ver se correspondia às nossas expectativas, e como não desiludiu nem fomos ver mais nenhuma!
O processo do vestido foi semelhante, consegui reduzir a duas lojas que queria visitar, e fui às duas no mesmo dia e encontrei logo O vestido nesse dia, não precisei perder mais tempo.

Acho que o mais importante quando se organiza um casamento à distância é não ter medo de tomar decisões e aceitar que é impossível ter certezas. Também é importante pedir ajuda e confiar em em quem nos está a ajudar.

Os meus pais e os pais do Sérgio ajudaram-nos bastante, comprando certos acessórios que nós sabíamos que não íamos conseguir levar para Portugal (exemplo: cestas), indo às desgustaçōes na quinta por nós, etc..
Por fim, algo que ajudou bastante foi o facto de eu ter tido a possibilidade de ir para Portugal um mês antes da data do casamento, o que me permitiu terminar todos os DIY’s já em Portugal bem como visitar todos os fornecedores uma última vez.
Caso isso não seja possível, eu considero que pelo menos uma semana antes é essencial para dar conta dos últimos retoques.

Clique nas imagens para ampliar

Sabemos que optaste por fazer a tua própria maquilhagem. Como correu essa aventura?

Foi de facto uma aventura!
O que me levou a tomar esta decisão foi primeiramente o facto de querer poupar dinheiro e o facto de eu achar que se treinasse, conseguia fazer!
O processo começou logo assim que ficámos noivos, comecei logo a ver tutoriais no youtube, a pesquisar sobre quais os melhores produtos para o meu tipo de pele e para ficar bem em fotografia, investi em produtos de boa qualidade e comecei a treinar todos os dias…Sim, TODOS os dias! Principalmente o eyeliner, que era a parte que mais me preocupava, mesmo que não saísse de casa eu fazia.
Com o tempo comecei a perceber que até me ajeitava e comecei a ficar mais confiante. Treinei várias versões e enviava fotos para a minha mãe e amigas para ter opiniões de qual a maquilhagem mais bonita.
O meu medo era que eu no dia do casamento, com o nervosismo não conseguisse fazer nada de jeito, mas no fim estava super calma e até acabei por improvisar algumas coisas que até tinha decidido que ia fazer diferente e ficou super bem!

Como foi a aventura dos vossos looks?

Eu comprei o meu vestido em Portugal por isso, em vez de ir a várias lojas, passei muito tempo online a ver websites de todas as lojas que tinham a coleção de vestidos online.
Como já expliquei acabei por reduzir a apenas duas lojas e só visitei essas duas. O mais engraçado é que eu acabei por escolher o primeiro vestido da primeira loja, ou seja, nem precisava ter experimentado mais vestidos nem ter ido à segunda loja!
Já ouvi varias noivas dizer que iam com uma ideia do estilo de vestido que queriam e no final gostaram de algo completamente diferente, a mim isso não aconteceu, eu encontrei o tipo de vestido com que sempre sonhei e assim que o vesti soube que era “aquele”.

Para o Sérgio o processo também foi bastante fácil, assim que decidimos o tema do casamento ele decidiu de imediato que queria um fato azul, um laço vermelho e suspensórios! Ou seja, o outfit foi todo pensado por ele!
Como ele queria comprar aqui em Londres e eu não podia ir com ele (ele disse que se não podia ver o meu eu também não podia ver o dele), os pais dele vieram cá e foram com ele ajudar a escolher. Pelo que sei ele também só entrou em duas lojas e como ele não queria um fato típico de noivo, ambas as lojas eram lojas de fatos normais (não dedicados a casamentos).

Clique nas imagens para ampliar

Como te inspiraste para o tema e cores do casamento?

O tema do nosso casamento foi Londres, e a ideia surgiu do facto de nós originalmente querermos casar em Londres.

Infelizmente não era possível que todos os nossos amigos e família viessem a Londres para o nosso casamento, então decidimos levar Londres até eles! As cores foram portanto inspiradas nas cores da bandeira do Reino Unido (branco, vermelho e azul).
Para completar o tema conseguimos que pai do Sérgio nos construísse uma cabine telefónica Londrina e os nossos marcadores de mesa eram a imitar os placares que indicam o nome das ruas/zonas de Londres.
Portanto acabou por ser uma escolha muito natural e imediata; não perdemos muito tempo com esta decisão.

Clique nas imagens para ampliar

Quais achas que foram as principais particularidades do vosso casamento?

Decididamente a cabine telefónica fez sucesso! Acho que foi algo que ninguém esperava e que deu um toque especial.

Outra coisa que foi de facto um bom investimento foi o animador de pista, foram 90 minutos com cerca de 90 pessoas a dançar e foi super divertido, valeu mesmo muito a pena.

Outra particularidade foi o facto de termos escolhido bem a quinta tendo em conta o tempo que esteve no dia. Basicamente choveu o dia todo, mas como o salão da Quinta do Corvo tem 3 paredes completas todas de vidro, nunca nos sentimos “fechados” e estivemos na mesmo em contacto com o exterior.

Fornecedores:

Quinta: Quinta do Corvo | Vestido: Marjú Noivas | Fato Noivo: Moss Bros (Londres) | Sapatos Noiva: Debenhams (Londres) | Sapatos Noivo: Ted Baker | Acessórios: Accessorize | Fotografia: Photus | Animação/Música: Quinta do Corvo – DJ André | Maquilhagem: Ana Martins (Noiva) | Cabelo: Metamorphosis | Bolo: Quinta do Corvo/ Pastelaria Vitória (Setúbal) | Lembranças: DIY, com componentes comprados no Ebay | Convites: DIY, com papel comprado na Paperchase e impresso em casa | Flores: Zita Florista

Gostou desta Wedding Story? Veja mais aqui. Não se esqueçam de seguir o nosso facebook e instagram!

horizontal_preto.png


 

2 thoughts on “{Real Wedding} Um casamento muito “British”

  1. Eu também estou a organizar o nosso casamento em Portugal através do Reino Unido, por isso entendo perfeitamente!!

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.