Casamento Sofia e João – tanto num só dia!

Lembram-se do lindo editorial True Love’s Kiss que partilhámos no blog há alguns meses, em colaboração com a Rita Santana, Mint & Rose Crafts & Events, Mara d’Élean, Florista O Desejo e Pims Cake design?

Ontem a Sofia e o João fizeram 1 ano de casados e, nada melhor como celebração, do que relembrar o dia. Aqui ficam todos os detalhes deste casamento fantástico, pela mão da própria Sofia, que se junta ao nosso blog como Aurora (Bela Adormecida).

Sofia, conta-nos como começou a vossa história e como foi o pedido de casamento.

Eu e o João conhecemo-nos através de uma amiga em comum e começámos a namorar em setembro em 2007. Curiosamente frequentámos a mesma escola secundária mas só nos conhecemos quando já estávamos ambos na faculdade.

Foi no dia 1 de dezembro de 2016 que o João fez o pedido de casamento. Soube mais tarde já vinha a planear tudo desde o verão desse ano. Viajámos até Londres e foi nessa bela cidade junto ao Rio Tamisa que ele fez o pedido. Recordo com tanto amor o sentimento que me invadiu!

Como foi planear o casamento?

Confesso que já tinha uma ideia do casamento que pretendia, bem como uma ideia muito fixa do vestido que queria. Escusado será dizer dizer que assim que o pedido foi feito a minha cabeça começou a pensar em tudo a mil à hora! Por um lado estava preocupada com o orçamento para certas coisas, por outro lado foi uma azáfama de pedidos de orçamento a fotógrafos e quintas. Além disso também tinha uma data concreta em mente que depois acabou ser alterada tendo em conta a disponibilidade da quinta que escolhemos. Uma coisa era certa: não queríamos correr o risco de não ter bom tempo e assim casámos em julho de 2017.

Como foi o vosso dia?

Digo de coração cheio que adorei o nosso casamento e francamente não mudava nada. Estavam presentes as pessoas que tinham de estar: família nuclear e amigos, que para nós são família e nos têm acompanhado em várias fases da nossa vida.

A primeira decisão que tomámos, que foi das mais difíceis e que ditou tudo o resto, foi a escolha do local. Após umas 6 visitas encontrámos finalmente aquilo que pretendíamos: a Quinta do Porto da Ramagem em Palhais. Esta Quinta deslumbrou-nos com o percurso de calçada, as fontes, o jardim, o local da cerimónia, já para não mencionar as boas recomendações que tínhamos. Foi sem dúvida uma excelente escolha não só pelo ambiente que nos proporcionou como pela maravilhosa comida (que também era algo que nos preocupava devido a algumas histórias menos boas que já tinhamos ouvido).

Foi após esta decisão que escolhemos o fotográfo e a escolha também não podia ter sido mais acertada. Depois de ter pedido vários orçamentos especificando o que pretendíamos (reportagem do dia incluindo os preparativos dos dois e o resultado final numa pen), e de ter recebido as respostas, ficámos inclinados para escolher a Rita Santana (fornecedora recomendada aqui do blog, e fotógrafa do nosso Trash the Dress). Tinha um estilo de fotografia que ambos apreciávamos: reportagem natural, cores bonitas. Um telefonema que a Rita me fez ditou a resposta final pois foi imediata a empatia que senti. Além de termos feito a sessão de namoro com ela, o que permitiu que no dia nos sentissemos mais à vontade com a câmara, decidi lançar-lhe um desafio. Acho que quando se casa deve ser com direito a tudo e sempre gostei muito de tirar fotografias. Visto que me fui maquilhar e vestir ao Evidência Hotel (já ía com o lindo penteado que a D. Lurdes me fez), porque não fazer uma sessão bridal boudoir? Foi uma experiência espetacular e divertida, ajudou-me imenso a descontrair e gostei imenso do resultado!

Quais as particularidades do vosso casamento?

Romântico e elegante – era assim que imaginava tudo. Nunca sabemos se conseguimos transmitir as ideias que estão na nossa cabeça mas pelo menos na minha foi assim que senti o nosso dia: cheio de amor, gargalhadas, brincadeiras e uma boa dose romantismo e elegância (meio clássico até). Estava tudo tão bonito! As cores predominantes foram o lilás, o rosa chá e o branco, pelo toda a decoração foi baseada nesses tons, até porque sempre gostei imenso de lilás e roxo. Também pensei em ter um adereço que penso que acentua este estilo: uma sombrinha de renda. As minhas queridas madrinhas anteciparam-se e numa das últimas provas do vestido ofereceram-me a sombrinha! O efeito foi precisamente o que eu idealizava, tanto na minha entrada como nas nossas fotos!

Os nossos convites também seguiram a mesma linha de pensamento, após algumas pesquisas encontrámos um modelo relativamente fácil de reproduzir. Penso que o resultado ficou elegante tendo em conta o tipo de papel e cartolina que usámos bem como alguns pormenores adicionais. Pedi ajuda à minha irmã e ela criou-nos um logo que também foi usado nos cartões de agradecimento que deixámos nos lugares dos convidados. Colocámos também em prática uma ideia do João que foi em parte arriscada mas teve imensa piada: nós nunca contámos onde ia ser o casamento, apenas os nossos pais e padrinhos sabiam onde ia ser. No convite colocámos um local de encontro próximo da quinta mas a verdade é que as pessoas nunca descobriram, nem mesmo quando o João partilhou a localização do local num grupo privado que criámos no Facebook para os nossos convidados.

De forma a conseguirmos que todos participassem no “livro de visita” colocámos cartões debaixo dos pratos dos convidados fazendo o convite para que nos deixassem os seus pensamentos e o resultado não poderia ter sido melhor: desde as dedicatórias mais emocionantes às mais cómicas, reunimos tudo numa caixa de madeira.

Tendo em conta a dimensão da quinta e as suas particularidades como os recantos, as fontes e os animais, o João teve a ideia de lançar um desafio aos nossos convidados e foi de facto um jogo muito giro. Colocámos dentro de balões cheios de ar papéis com perguntas sobre nós, coisas que sabíamos que alguém nos convidados saberia responder. Na véspera do casamento fomos à quinta e espalhámos os balões por vários sítios. Quem conseguisse mais balões e acertasse às perguntas poderia escolher um de dois prémios: ou um voucher de massagem ou uma garrafa de whiskey. Por um lado este jogo permitiu-nos tirar fotografias ao final do dia e não estarmos preocupados se as pessoas estariam a ”passar uma seca” e no final proporcionou-nos um momento divertido; por outro lado, se não fosse assim os convidados dificilmente conheceriam a quinta.

Qual o teu momento favorito?

O dia passou a correr e fizemos questão de aproveitar cada momento mas devo destacar o momento da minha entrada. Um dos meus padrinhos toca clarinete pelo que lhe pedi para tocar o “Fly me to the moon” do Frank Sinatra e foi um momento incrível: sentia-me a levitar, toda eu sorria, e claro, ver a reação do João foi espetacular. Achei a cerimónia linda… e mesmo depois, quando toda a gente nos veio felicitar! Entrar na sala, abrir a pista, o corte do bolo… dá vontade de reviver tudo de novo! Abrir a pista também teve o seu quê de especial… em primeiro lugar porque visto nós dois termos tido aulas de salsa era óbvio que iríamos dançar salsa… e um vestido com o formato do meu tornava o feito impossível! O assunto ficou resolvido quando uma das minhas madrinhas me emprestou um vestido que se revelou perfeito para o momento e que eu não estava a conseguir encontrar em lado nenhum (já bem bastava a saga que vivi em busca d’O vestido como irão descobrir a serguir), era branco, curto e super leve! O momento em que entrei na pista de vestido trocado também foi muito engraçado pois foi giro ver o ar de surpresa do João: ele não contava ver-me de vestido curto e de ténis.

Como foi a aventura dos vossos looks?

Sem dúvida que a minha saga pessoal na organização do casamento foi encontrar o vestido que queria. Por norma tenho sempre este problema: quando vou à procura de alguma coisa já sei exatamente o que quero e isso não facilita as coisas. Eu queria um vestido com formato sereia/trompete, sem costas e com renda. Ora, isto são características que não combinam com um orçamento curto (e quando digo curto digo bem abaixo dos mil euros). Eu corri tudo. Tudo. Liguei e visitei todas as lojas nas imediações e não só. Vivendo eu em Almada fui pessoalmente a mais de 20 lojas de noivas e experimentei mais de 40 vestidos no espaço de 2 meses, desde Setúbal, Montijo, Baixa lisboeta, Moscavide… Fui bem tratada, mal tratada, conheci pessoas que estão no ramo certo e outras que deveriam repensar a sua vocação. Eu sei que a minha busca era deveras difícil mas quando disse, numa das lojas a que fui, “ok então vou continuar a minha corrida em busca do vestido” não é de todo agradável ouvir “corra corra, pode é não chegar a lado nenhum!”. Mas cheguei. E foi bem no centro do Pinhal Novo que a Lina (incrívelmente cheia de paciência para mim!) da Linhas Simples me apresentou o meu Cosmobella lindo e maravilhoso que eu tanto procurava. O vestido que eu tanto idealizava: sereia/trompete, sem costas e com muita renda

Aproveito para deixar a dica a quem gosta deste formato de vestido: optem por cintar um pouco mais e ajustar apenas na parte superior das ancas. Assim as coxas ficam à vontade e não sentem os movimentos presos que por vezes é um dos problemas deste género de vestidos.

Já o João encontrou o fato dele na Emidio Tucci. Também não foi uma tarefa fácil tendo em conta a estrutura do corpo dele (ombros largos) e o facto de hoje em dia os fatos de homem serem quase todos cintados. Assim, o João optou por um fato de corte regular em azul escuro e para completar mandou fazer o colete à medida na Dielmar.

Tens alguma dica para dar aos noivos que estejam agora a organizar o casamento?

É um dia único que passa a correr. O casamento é vosso, façam aquilo que gostam!

Fornecedores
Vestido de noiva: Linhas SimplesLipsy London| Cabelo Noiva: Cabeleireiro Lurdes, Feijó | Cabelo e barba Noivo: Pinto Barbearia – Almada| Fato do noivo: Emidio Tucci| Quinta: Quinta do Porto da Ramagem| Música: João Santos | Fotografia: Rita Santana Photography| Acessórios noiva: Linhas Simples (brincos) Bijou Brigitte (pulseira), Oysho (lingerie) La Vie en Rose (casaco de renda) Fátima Alves (sapatos) Zara (ténis)| Acessórios noivo: Dielmar (colete, gravata, camisa e botões de punho), Calçado Guimarães (sapatos), Maserati (relógio) | Bouquet: Florista Linda Flor| Maquilhagem: Addicted2Makeup

Jasmine & Auorora


Clique na imagem abaixo para ver o editorial True Love’s Kiss, que foi o Trash the Dress da Sofia & João, em colaboração com o Once Upon a Time a Wedding:
Sofia & João TTD editorial

Gostou deste casamento? Temos mais aqui

Veja temas e estilos e ideias!

facebook | instagram | pinterest


horizontal_preto.png


 

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.